quinta-feira, 2 de maio de 2013

You are more beautiful than you think.

Esta é uma daquelas campanhas que não deixam ninguém indiferente.

Sempre gostei dos spots publicitários da Dove, principalmente por não mostrarem a idealização utópica duma mulher alta, mais que magra, com roupas de "grife" como a máxima de beleza. Mostram uma beleza comum, corrente, mais próxima a 90% da população, saudável, feminina.

Antes de ter a M. o meu peso máximo foi 52kg. E eu achava que, com o meu 1.60m isso era ser gorda. Não. Era ser muito gorda. 
Porque não tinha as pernas de canivete das modelos, ou porque não era lisa como uma tábua como a Carrie do Sexo e a Cidade, ou porque os meus olhos não eram nem castanhos nem verdes. E porque o meu nariz fica torto quando me rio. E porque os meus dentes não são brancos como a neve. 

A gravidez (pronto, pronto, eu!) engordou-me 23kg. Perdi 16 desses 23 kg e a maternidade mudou-me.
Mudou-me ao ponto de com 59kg, 1.60m, com estrias, celulites e outras cenas indesejáveis, me sentir bem na minha pele. A pele de alguém que tem um cabelo bonito, que tem uma figura desejável, que atraí, que tem uns lábios vermelhos, cheios e uns olhos amendoados, doces e penetrantes.

Mudei o guarda-roupa e desta vez não quis saber de tamanhos e marcas. Escolhi coisas que se adequavam a mim, que destacavam os meus pontos fortes e minimizavam as "imperfeições". Parei de me comparar a acrtizes de Hollywood ou miúdas do "Disney Channel" e comecei a olhar a beleza natural, a verdadeira, à minha volta.

Parei de me focar em números numa balança e, ao invés disso, olhei-me no espelho como se fosse outra pessoa. E gostei do que vi.

Ainda assim quis perder alguns kilinhos para a roupa me assentar melhor. Perdi 2kg, sem loucuras, só com uma alimentação mais saudável. O pé no gesso fez-me perder mais 2. E continuo a sentir-me bem.

Desde que continue a avaliar aquela pessoa no espelho, que não sou eu, continuarei a sentir-me bem. Quando me aperceber que afinal, aquela desconhecida de sorriso nos lábios, sou mesmo eu. 






1 comentário:

Jovem Atrapalhada disse...

Também penso assim...
Beleza não são números numa balança, mas olhar ao espelho e gostar do que vê!
Eu depois do "acidente" que tive e estive uns meses a fazer fisioterapia, tive pela primeira vez na minha vida "esquelética" (mas com bons peitos e rabo, vamos lá ser corretas connosco próprias! =P) sempre fui magra e no entanto agora os doces que eu sempre abusei começaram a instalar-se, (SEM PAGAR RENDA!) na barriga e coxas...

Fiquei em choque quando umas calças que comprei à um par de meses não me passavam pelas coxas acima, e ai "abri a pestana" e agora ando a comer comidas mais saudáveis (muitas saladas variadas e sopinha) e sinto-me muito melhor tanto a nível de saúde como a nível físico... :)