sexta-feira, 24 de maio de 2013

Comentários que viram posts #2

Em relação a isto do co-sleeping há muito que se diga...

Neste post o que mais gostei (e está na lista "a reter para a posteridade") é:

"Primeiro têm-se certezas, depois filhos!"


Nós éramos assim acerca do co-sleeping. "Dormir na nossa cama? Nem pensar!"

E depois daqueles 45cm de gente virem conhecer o mundo, só pensava "mas se nós também não gostamos de dormir sozinhos e dormimos os dois agarradinhos, e nem imaginamos as noites de outra forma, porque não tem esta criaturinha nova TODO o direito de partilhar os mesmos miminhos?"

Porque é verdade, não é? Nós gostamos de dormir sozinhos? Eu não...
Então porque havíamos de obrigá-los...? Ainda hoje fico cheia de pena quando a vejo a dormir na caminha dela, mas sei que é ela própria que prefere assim... :) A miúda é cheia de calores e não gosta muito de dormir connosco na cama... Graças a Deus, porque (e apesar de me saber muitíssimo bem aquele miminho matinal e antes de dormir, aquela "ronha" a três, dormir à séria é impossível quando está na nossa cama uma mini acrobata que rebola e se põe nas posições mais estranhas e acha ainda que dar pontapés na nossa cara durante a noite é super fixe!)

No entanto, sempre tive medo que o meu sono pesado pudesse causar qualquer acidente e, por isso, ela dormia connosco mas na sua alcofa. :) Ficávamos ali os três nos miminhos até adormecer e depois ia para a alcofa. E depois foi para o berço, mas continuou no nosso quarto. Até que foi definitivamente para o quarto aos 6meses. Porque já sentia necessidade. Porque queria dormir no seu espaço, com os seus brinquedos, com a sua parede de borboletas a vigiá-la...

Ela ficou melhor e nós tivemos mais espaço na cama e, finalmente, acabou-se o esbarramento de canelas contra todas as esquinas dos móveis, no quarto.
Mas tudo aconteceu naturalmente, sem imposições de "teorias" que funcionam bem é nos livros ou nos filhos dos outros.

A vida de casal permanece. E se estão a pensar nas relações íntimas, haja imaginação, pessoal! ;)

3 comentários:

Vee disse...

Eu muitas vezes dormi com a minha filha umas valentes horas porque já estava tão cansada que já não queria saber, se era ali que ela dormia e não no berço então ficava ali mesmo. A minha preocupação maior era com o pai porque notei que ele não despertava, como eu, se a ouvisse ou sentisse.
Mas depois ela começou a dormir bem na cama dela e eu achei que estava na hora de passar para o quartinho (3/4 meses) porque achei que dormia melhor longe dos barulhos, roncos, essas coisas todas que fazemos a dormir.

Vee disse...

Olha, eu gosto de dormir sozinha :). Acho que foi por isso que também achei que ela ia preferir ir para o quartinho dela.

Mi♥ disse...

A M. agora não gosta sequer que façamos a sesta depois do almoço, na nossa cama, como ela... E iria saber-me tãoo bem dormir com aquela mini pessoa de novo! Mas connosco ela simplesmente não dorme. Só quer a sua caminha...
E, pensando bem, eu também gosto de dormir sozinha... Aqueles momentos de manhã, quando tenho a cama só para mim!!! Hmm, que bem que sabe! :)
Mas adormecer à noite sem ele, já não dá... É o hábito. ;)