quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Comentários que (poderiam) virar posts

Este não foi um comentário, mas podia ter sido.

No entanto, eu sou daquelas pessoas que acha que "se não tens nada de bom a dizer, cala-te" é uma boa máxima para convivermos pacificamente com todos. E, sendo assim, não comento.

Mas não quer dizer que não tenha opinião e que não queria pô-la cá para fora de alguma maneira...

É que já há algum tempo que sigo alguém na blogosfera que inicialmente me parecia apenas uma pessoa de bem com a vida, sortuda em muitos aspectos, com um bom sentido "fashion", uma "lufada de ar fresco".

Mas esses tempos já lá vão.

Não sei se é a vontade de afirmação das pessoas, ou a vontade de ter mais visualizações, mas não gosto quando se assumem posições demarcadamente polémicas só para terem daqueles comentários menos agradáveis e poderem ter ali mais uns quantos minutos de fama. Não gosto, faz-me comichão.

E também não gosto desta necessidade bruta de auto-apreciação... De postar outfits só para ouvir os comentários fofinhos e agradáveis e atacar as pessoas que "não gostam da cor" ou "e giro em ti, mas não funciona em mim". Ou de se apresentar sempre como a pessoa mais sortuda, a quem a vida melhor corre, que não tem problemas e que olha sempre para o melhor das coisas (nisto, concordo que temos, devemos mesmo, tentar olhar para o melhor da vida, sentirmo-nos bem com o que temos e viver apaixonadamente, hoje). Mas isto não é sempre assim. Nem sempre este é o caso, e não me parece real uma vida assim...

E para quê ler blogues se eles não são um bocadinho reais? Se são para apresentar uma vida fantasiada, de novelas, então ligamos a televisão...

Eu (e isto é apenas a MINHA visão das coisas) gosto de sentir empatia pela pessoa do outro lado, que está ali uma pessoa verdadeira, real, com medos e sofrimentos. Que está disposta a receber e lidar com tudo nesta vida, o bom e o mau.

E que sabe ouvir os comentários menos agradáveis (não os que são insultuosos), aqueles comentários que não fazem cócegas nos ouvidos, mas que também não maltratam.

Não gosto quando alguém se expõe e depois é tão mordaz (e maltrata até, juntamente com o seu rol de seguidoras aficionadas) as pessoas que têm apenas uma visão diferente.

Afinal isto não é saber viver em conjunto, abraçando pessoas diferentes e ideias diferentes, é exterminar toda e qualquer voz que se erga contra nós.

E o tempo das ditaduras já lá vai...

(Sim, sim, eu sei. Tenho bom remédio. E remediado está! ;))

2 comentários:

Jovem Atrapalhada disse...

Não poderia estar mais de acordo!
Está tudo dito.

Anónimo disse...

Ora lá está, tanta coisa que por vezes na minha cabeça não faz sentido mas há mais cabeças a pensar assim. mas tal como disseste tem bom remédio :)