sexta-feira, 21 de junho de 2013

You and food

A M. é uma criança não muito dada a birras.

Ou melhor. Ela tem os seus "ataques de caspa" de vez em quando, mas ao serem ignorados, acabam por passar muito rapidamente.

Sim, quanto a tudo o resto somos bastante capazes de simplesmente ignorar birras e choros. Normalmente quando começa a sinfonia, só perguntamos: "vais chorar? Então vai chorar para o teu quarto para não nos incomodares." ou "tens algum motivo para chorar? Então pára. Se não, quando quiseres parar, vem ter connosco." E até funciona.

Mas em relação a isto não dá: comida.



Ela comia super bem, com ajuda de Galinhas Pintadinhas e Pedros, mas comia bem. Uma grande tigela de sopa e ainda petiscava ali e acolá do que estivéssemos a comer. Até há uns dois meses atrás.

Agora recusa todo o tipo de coisas verdes, laranjas ou vermelhas (a não ser que seja massa tricolor, isso já marcha). E nem pensar em ver sequer um prato de sopa!!!

Portanto a sua dieta resume-se a:

- massa (muita massa);
- arroz (muitooo arroz);
- peixe (tudo menos bacalhau, que havia a miúda de sair ao seu paizinho);
- carne (todo o tipo, desde que não seja tipo chiclete, porque se for ela "mastiga e deita fora")
- alguns vegetais que vou conseguindo esconder no meio do arroz ou enfiar dentro da massa (ai aquels "conchinhas" vão sempre recheadas);
- fruta (normalmente de boião - shame on me - porque au naturel, só mesmo banana).

Mas sopa, N-A-D-A! A não ser na creche.
Aí come a sopa, a fruta em pedaços, os legumes - equisitóides - que juntam ao prato principal, tudinho. Em dias bons, claro está. Porque quando está com a neura, nem na creche a coisa vai.

E isto aflige-me. Muito. Porque ela era um criança super saudável, que tinha ido uma única vez às urgência com uma otite. Nada mais.

Era.

Até entrar na creche, o que coincidiu com o nascimento de uns 45 dentes (já lhes perdi a conta e começo a duvidar se a miúda tem boca para tanto dente, valha-me Deus.), com uma infecção viral que a deixou desidratada, com menos peso e a 100gr de ser internada. Coincidiu com o desinteresse completo pela sopa e tudo o que é legumes, com o espírito de independência e de "eu quero e consigo fazer TUDO sozinha" desde subir às cadeiras/sofás/tudo o que seja perigoso, a comer. Coincidiu com a tosse que nunca mais nos deixa e a nova moda do "se te meteres comigo, levas um empurrão" aos coleguinhas da creche.

Pode isto ser mais uma fase?!
Se for, é daquelas bem feias e intermináveis...

Bolas, que isto da parentalidade é mesmo difícil!!! 
Mandem-me de volta fazer os exames de chinês com a Wang.........!!!

4 comentários:

Jovem Atrapalhada disse...

Citação do post:
"...[Sim, quanto a tudo o resto somos bastante capazes de simplesmente ignorar birras e choros. Normalmente quando começa a sinfonia, só perguntamos: "vais chorar? Então vai chorar para o teu quarto para não nos incomodares." ou "tens algum motivo para chorar? Então pára. Se não, quando quiseres parar, vem ter connosco." E até funciona.]..."

Isso vem nalgum manual dos pais? É que a minha mãe fazia tal e qual! =P

Jovem Atrapalhada disse...

Espero que seja só uma fase...
Eu ainda hoje sofro de (quem diria!) "ansiedade de separação" (isso não é para os cães?!), e dizem que desde que fui para a creche, eu que estava sempre a dormir, até tinham que me acordar para dar de comer e dar banho, passei a ter "terrores nocturnos" que ainda hoje (tenho 25 anos) perduraram e pioram com os stresses do dia a dia, discussões, etc...

Mi♥ disse...

Acho que vem no manual "instinto paternal", o melhor de todos! ;)
Bem... Isso é que é pior! :( Eu também sofro muito de ansiedade e as noites são passadas em sonhos muito muito muito estranhos e invariavelmente stressantes... Espero que não seja genético! :/

Jovem Atrapalhada disse...

A minha ansiedade (generalizada) nervosa e esgotamentos/depressão é devido a insuficiências químicas, já estive internada 1 mês devido a um esgotamento nervoso/depressão, e para fazer uma cura do sono...
Claro que não foi "cura" nenhuma, saí de lá pior do que entrei, mas pronto...

o meu pai também sofre de distúrbios do sono, disseram-me que em principio não tem nada a ver pois é algo psicológico, é devido aos nervos, traumas e preocupações e que sonhar com isso é uma forma de "deitar cá para fora" os nossos receios e ordenar os pensamentos...

Não sei o que pensar, já tomei todo o tipo de calmantes e até uns comprimidos que supostamente fazem com que caia num sono profundo sem sonhos, mas não funcionou...

Já tenho marcado um exame do sono, onde irei ficar numa clínica ligada a máquinas toda a noite, onde vão estudar a minha actividade cerebral durante o sono...
Ainda descobrem que sou uma espécie rara e ai é que vai ser bonito!!!

Ai... ai... Se não fosse o meu sentido mórbido de humor, provavelmente já tinha desistido de viver... Só que a minha teimosia é superior a tudo!